| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Work with all your cloud files (Drive, Dropbox, and Slack and Gmail attachments) and documents (Google Docs, Sheets, and Notion) in one place. Try Dokkio (from the makers of PBworks) for free. Now available on the web, Mac, Windows, and as a Chrome extension!

View
 

RELAÇÕES INTRA E INTERPESSOAIS NO CONTEXTO ESCOLAR

Page history last edited by PBworks 14 years, 2 months ago
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
          

 

  RELAÇÕES INTRA E INTERPESSOAIS NO CONTEXTO ESCOLAR

“O educar se constitui no processo em que a criança ou o adulto convive com o outro e, ao conviver com o outro, se transforma espontaneamente, de maneira que seu modo de viver se faz progressivamente mais congruente com o do outro no espaço de convivência” (MATURANA, 1998b, p. 29).

 

Somos seres eminentemente sociais, assim defende a ciência e a psicologia comportamental. E nossa evolução se baseia nos contatos mútuos que estabelecemos com os outros, ou ainda nosso contato com o ambiente. Somos seres que nos desenvolvemos a partir de um processo sócio-histórico, como defendeu Vygotsky. A nossa mente humana sente uma necessidade natural de pôr-se em contato com os outros; sente uma necessidade de manifestar opiniões pessoais e, mais intimidade, de emitir e receber sentimentos pessoais. E essa necessidade de viver em grupo nos obriga a um auto-conhecimento e conhecimento do outro para assim respeitá-lo e compreendê-lo. Cada um de nós precisa do outro, desde o nascimento percebemos isso:

 

Desde os primeiros dias do desenvolvimento da criança, suas atividades adquirem um significado próprio num sistema de comportamento social, e sendo dirigidas a objetivos definidos, são refratadas através do prisma do ambiente da criança. o caminho do objeto até a criança e desta até o objeto passa através de outra pessoa. Essa estrutura humana complexa é o produto de um processo de desenvolvimento profundamente enraizado nas ligações entre história individual e história coletiva.[1]

 

O processo de aprendizagem está atrelado às relações interpessoais e relações intra pessoaisSe o desenvolvimento da inteligência exige a ação e a interação com o objeto de conhecimento e com o outro, quanto menos se lida com esse objeto, menor é o desenvolvimento ou nenhum ocorre.

A sala de aula é um verdadeiro fenômeno social. Tudo que ocorre no contexto social maior ali estará representado. As trocas interpessoais são incessantes e permeiam todo e qualquer procedimento de aprendizagem.

Os espaços educativos constituem-se em fenômenos sociais que manifestam, com fundamento nas emoções, os pensamentos, os conceitos e os objetivos dos grupos sociais, num processo histórico e relacional, criando realidades que, nesta interação constante, recria os sujeitos dela participantes. Para MATURANA, este agir humano nas relações é cooperativo. Para entendermos essa posição do autor convém uma olhada, ainda que rápida, do cenário que desafia pensadores como Maturana a buscarem alternativas viáveis para a educação que resgate as distintas dimensões do ser humano em sua cultura.

Mas não é somente através das relações com o meio externo que o indivíduo aprende ou desenvolve-se. Outro aspecto defendido por Vygotsky é o processo de internalização que é fundamental para o desenvolvimento do funcionamento psicológico humano. A internalização envolve uma atividade externa que deve ser modificada para tornar-se uma atividade interna, é interpessoal e se torna intrapessoal. Maturana defende que o organismo do ser humano se autogere, mas só o faz com a relação com outros organismos. Então viver e conhecer são mecanismos vitais e estão diretamente vinculados com o modo de relacionar-se e de organizar-se nessa relação.

Segundo Vygotsky, existem pelo menos dois níveis de desenvolvimento: um real, já adquirido ou formado, que determina o que a criança já é capaz de fazer por si própria, e um potencial, ou seja, a capacidade de aprender com outra pessoa.

O desenvolvimento cognitivo é produzido pelo processo de internalização da interação social com materiais fornecidos pela cultura, sendo que o processo se constrói de fora para dentro. Para Vygotsky, a atividade do sujeito refere-se ao domínio dos instrumentos de mediação, inclusive sua transformação por uma atividade mental.

Portanto enquanto vivemos estamos aprendendo e construído relações e aprendendo por elas. E cabe ao professor um papel muito significativo e importante nesse processo de interferir de forma planejada, consciente e intencional proporcionando aos alunos interagirem e refletirem sobre as relações no ambiente escolar.

 

 

 


 

 

 

[1] MARTINS, João Carlos. Vygostsky e o papel das Interações sociais na Sala de Aula: Reconhecer e desvendar o Mundo. Doutorando da Pontifícia Católica – PUC/SP.Mimeo.p.111

 

 


Comments (3)

Anonymous said

at 11:35 pm on Aug 8, 2007

Oi gurias.
Legal e interessante a imagem escolhida. Penso que remete muito bem o tema discutido.
Gostaria de acrescentar um pequeno comentário para ajudá-las: por que não modificar a letra do texto principal? Vocês não acham que está muito linear? Por que não inserir mais imagens?
Poderiam colocar os mesmos links do texto principal na caixa do saidbar? O que acham?

Anonymous said

at 7:35 pm on Aug 11, 2007

Sandra, a referência do texto está na nota de rodapé, porém os conceitos foram elaborados a partir do texto de Maciel, então é só clicar no Link - relações interpessoais - intra pessoais, dentro do texto, que aparece os conceitos. Nos conceitos o link foi feito no nome Vigotski - então referência de Maciel...
Bjos Fê Fauro

Anonymous said

at 10:14 pm on Aug 11, 2007

Foi muito bom meninas rever os conceitos: interpessoais e intra pessoais. Valeu meninas!

You don't have permission to comment on this page.